domingo, outubro 24, 2010

As coisas simples da vida


Já havia criado uma expectativa pelo drama coreano POESIA, mas ainda assim o filme surpreende. Em resumo, o filme é sobre uma senhora solitária que, apresentando os primeiros sinais do Mal de Alzheimer, procura ocupar-se entrando num curso de poesia. O professor depara-se com a dificuldade de seus alunos em expressar-se e ensina com simplicidade como conseguir por no papel a beleza de um momento, de uma emoção. Há a armadilha do cinema literário aqui, mas o diretor Lee Chang-dong logo mostra que sabe fazer cinema, da melhor qualidade. A simplicidade da trama começa a revelar camadas. Essa senhora é avó e vive com um neto, talvez envolvido com amigos no estupro de uma garota que suicidou-se. Ela também trabalha como empregada, numa casa onde trata de um senhor inválido e moribundo. Os pais dos garotos envolvidos no caso do estupro da garota a convidam para tentar abafar o caso com uma compensação financeira para a mãe da garota. Enquanto isso, essa senhora humilde, com uma doença que irá afetar sua memória, frequenta as aulas de poesia e exercita expressar-se com palavras nos momentos que contempla as coisas belas (e as tristes também) à sua volta. Com longa duração e desenvolvido sem pressa, o filme avança para um final de uma beleza ímpar. Sem pieguice e com uma grandeza rara em unir imagem e poesia, com simplicidade e sabedoria. Filmão. A destacar ainda a atriz Yoon Hee-jeong, veterana e famosa na Coreia do Sul, mas que há 15 anos não filmava. Para quem está em SP, a última das quatro exibições de POESIA na Mostra acontece nessa segunda 25. Agende-se. O lançamento comercial no Brasil está previsto para abril de 2011.

POESIA
Coreia do Sul 2010 2h20min
Visto em 22/10 no Reserva Cultural
Por Fernando Vasconcelos
Cotação: MUITO BOM

3 comentários:

hitaalo disse...

Nossa! Parece ser muito bom!
Pena que muitos desse filmes, só chegam ao Brasil no ano que vem =/

Anônimo disse...

Pô , esse eu passo.

Filipe Marcena disse...

Hittalo, POESIA estréia em breve no Brasil. Vale assistir.